Faculdade Laboro debate a crise ambiental na semana do meio ambiente

semana-destaque

A Faculdade Laboro iniciou a semana do meio ambiente com o evento acadêmico: Meio ambiente e seus temas transversais: sustentabilidade e responsabilidade social.
O evento aconteceu nos dias 5 e 6 de junho de 2017 para os alunos da graduação em Gestão Hospitalar e Redes de computadores. O primeiro dia aconteceu às palestras com as professoras Luzenice Macedo, presidente do Instituto Maranhão Sustentável a professora Andrea Saboia assessora do departamento de licenciamento ambiental da SEMA (Secretaria de Meio Ambiente) e o biólogo Mauricio Rodrigues dos Reis mestre em biodiversidade pela UEMA. Os palestrantes no primeiro dia trouxeram suas experiências e vivências tratando dos problemas do meio ambiente sofrido no nosso Estado e os danos da nossa biodiversidade. No segundo dia os alunos, divididos em equipes apresentaram trabalho que propunha soluções sustentáveis.
Professora Andrea Saboia falou da responsabilidade das empresas, as empresas devem ir além das leis de proteção ambiental, mas invés disso algumas prefere maquiar para não ter que agir de forma ecologicamente correta. Nossas ações sustentáveis começam em casa evitando desperdício. Segundo ela a educação ambiental começa quando adquirimos a consciência de usar o necessário dos nossos recursos até porque eles são limitados.
O professor biólogo Maurício Reis pontuou sobre os impactos danos das práticas insustentáveis à nossa biodiversidade.
Professora Luzenice abordou a crise ambiental como insistente. A recorrência das agressões e as posturas predatórias, ocorrem segundo ela pelo próprio modelo de vida que nós adotamos, apostando num crescimento sem limites que não se sustenta. Para ela um dos grandes erros desse modelo de mercado consumista é que a lógica de produção propõe muito mais em nossas vidas do que aquilo do que realmente nós necessitamos. Nessa perspectiva ela nos convida a entender a lógica da necessidade, que nada mais é do que repensar no realmente é necessário, isso traria menos impacto para o meio ambiente e então começaríamos a realmente entender a ideia de sustentabilidade.